sábado, 21 de outubro de 2017

NUMA AURORA BOREAL



Imagem Google 


NUMA AURORA BOREAL
Ysolda Cabral



Preciso me desligar do mundo real.
Será por pouco tempo. Eu prometo!
Não! Não estarei no mundo virtual.
Esse mundo começa a me dar medo.

Preciso de numa aurora boreal,
ser levada ao mundo do soneto.
Que nele não haja nada surreal,
mesmo sendo visitado tão cedo.

Cedo até para todos os pássaros,
que pernoitam nas redondezas,
indo embora antes do dia claro.

Quando voltar, volto com a certeza
de ter composto, num mundo raro,
versos puros de amor e de beleza.

**********

Praia de Candeias-PE
21.10.2017
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor. 

Para escutar a canção de fundo, acesse:


Código do texto: T6149266 
Classificação de conteúdo: seguro

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

O INSONDÁVEL - PELO DIA DO POETA




Imagem Google


Arremedo de poesia em reverência ao '' DIA DO POETA'' 

Aproveito para parabenizar Poetisas e Poetas aqui presentes com suas belíssimas obras.

__________________________________


O INSONDÁVEL
Ysolda Cabral


Por trás da fealdade,
está a beleza...

Por trás da fragilidade,
está a fortaleza...

Por trás do medo,
está a coragem...

Por trás da lágrima,
está o sorriso...

Por trás da mentira,
está a verdade...

Por trás da verdade,
está a vontade...

Por trás da vontade,
está a impossibilidade...

Por trás da bondade,
está a maldade...

Por trás da maldade,
está o arrependimento...

Por trás do arrependimento,
está o perdão...

Por trás do perdão,
estão o conforto, o confronto...

Por trás da palavra,
está o pensamento...

Por trás do pensamento,
está o sentimento...

Por trás do sentimento;
eu e você.

Por trás de nós dois,
está a Poesia...

Por trás da Poesia,
está a realidade ilusória...

Por trás da realidade ilusória,
está a Vida...

Por trás da Vida,
está a morte...

Por trás da morte;
o desconhecido insondável.


**********

Praia de Candeias-PE
Em reverência ao "Dia do Poeta" 
Apenas Ysolda

Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade sem pudor. 
20.10.2017

Para escutar a canção de fundo, acesse:

Código do texto: T6148225 
Classificação de conteúdo: seguro

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

PEDRA DA INCERTEZA ( CRÔNICA)



Imagem Google
__________________________


PEDRA DA INCERTEZA
Ysolda Cabral 


Sempre confiei em minha cabeça mais que em qualquer outra. Não sei se por ter uma cabeça boa mesmo, ou se por força da minha profissão. O fato é que nunca precisei muito recorrer à agenda para lembrar os compromissos diários. Claro que consultava! Contudo, se não a tivesse por perto, não me atrapalharia de jeito algum. Além de uma cabeça boa, o senso de responsabilidade, extremamente apurado, não me deixaria esquecer absolutamente nada.

O Tempo passa e vai levando uma porção de coisas da gente. E, mesmo que ainda não tenha levado muito de mim, começo a desconfiar da minha cabeça e isso tem me deixado acabrunhada. - Se não o tempo, o fato...

E o fato é que hoje, bem no meio do caminho, surgiu uma pedra: a pedra da incerteza. - Teria eu desligado o ferro, após passar a blusa que vestia? - A única alternativa era voltar para casa e verificar, mesmo isso significando um transtorno enorme no meu dia mal começado.

Bom, ao chegar atrasada no trabalho, depois de contar o sucedido aos colegas, todo mundo queria saber somente uma coisa: o ferro estava ligado ou desligado?

Foi quando comecei a refletir que, independente de como ele estivesse, minha cabeça já não estava tão boa! Concluí. Pois, se, apenas se, o ferro estivesse ligado; eu havia esquecido de desligar. E, se tivesse desligado, eu havia esquecido que fiz isso. Em ambos os casos eu tinha motivo para me preocupar, apesar de ter lembrado de usar o ferro, e de lembrar que não lembrava de tê-lo deixado ligado, ou desligado. Isso significava que, pelo menos, o senso de responsabilidade ainda estava intacto. Senti certo alento, mas não me livrei da preocupação...

Eis mais um aspecto da chegada da ''boa idade''! Se não fosse por ela, um acontecimento desses seria perfeitamente normal, principalmente nos dias de hoje que os jovens esquecem até deles mesmos.

- Melhor marcar logo uma consulta com um especialista, antes que eu termine como a mãe da Danny, minha colega de trabalho, que, ontem mesmo, interrompeu uma reunião de diretoria, dizendo ser assunto de máxima urgência e importância, para saber da filha se no capítulo da novela ''A Força do Querer'' a psicopata Irene, personagem da Débora Falabella, havia mesmo morrido.

- Eu posso com uma coisa dessas? 

Vou correr para o médico.

**********

Praia de Candeias-PE
19.10.2017
Apenas Ysolda

Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor.


Código do texto: T6147323 
Classificação de conteúdo: seguro

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

PELO DIA DO MÉDICO...


Imagem Google


PELO DIA DO MÉDICO...


Abençoado é o médico
que tem Deus no coração,
pois não existe remédio,
que cure sem oração.

*****

Ao médico amigo,
que cuida de mim,
falando paciente comigo,
quando estou assim,assim.

**********

Praia de Candeias-PE
18.10.2017
Apenas Ysolda 

Código do texto: T6146285 
Classificação de conteúdo: seguro

PLANOS DE VIAGEM ( CRÔNICA)



Imagem Google 


PLANOS DE VIAGEM 
Ysolda Cabral 



O Sol estava tão quente que chegava a tirar a beleza do dia e da gente. A sensação era desconfortante que até perdíamos a vontade de comer. Contudo, ''como saco vazio não se põe em pé'', lá fui eu avenida afora até o restaurante fazer um pequeno almoço. Aqui e acolá parava um pouco sob as Palmeiras que vi crescer, reclamando das sombras quentes que proporcionavam enquanto o semáforo não abria. - Não há nenhum pé de Vento. Elas me diziam no silêncio do seu farfalhar.

Estava suada, irritada, cansada, descomposta... - Quem gosta?! Comer assim é até pecado ou castigo, pelo qual não agradeço.

Quero ir para casa! Pensava, pensando estar gritando. No entanto, não estava e nem podia ir para casa naquele instante. Ainda tinha três horas de trabalho pela frente.

Cheguei ao restaurante e me sentei para almoçar. A comida desceu quente, amarga, apesar da consciência que estava gostosa como sempre. O líquido gelado do suco de graviola me deu certo alento. Parei de comer e me limitei a ele, o saboreando devagar, quando escutei a seguinte conversa: 

- ''Como o Recife está quente! Acho que vou viajar para o Chile.” E continuou...
- ”Na verdade, não queria viajar agora, pois acabei de chegar da Espanha. Mas, não dá para ficar aqui muito tempo não! Quente demais, barulho demais, gente demais”...

Deixei pra lá o suco, pedi a conta, peguei a bolsa, e, ao me levantar para ir embora, fui até a mesa onde as moças conversavam e falei:

- Que idéia ótima vocês me deram! Viajar para fugir desse calor infernal é a solução para não morrermos torrados. Viajarei no próximo final de semana. Falei alegre e decidida. 

Foi então que uma delas me perguntou: - “Vai para o Chile também?” E eu respondi: Não, não! Vou para ''São Quincas de Los Montes”. ( Era assim que meu avô, Firmino Filho, chamava São Joaquim do Monte, a cidade que escolheu para viver até o último dia de sua vida).

Acenando para elas, fui embora desejando sentir logo a Brisa daquela bela cidade envolver o meu corpo suado, deixando as moças matutando de que país seria ''São Quincas de Los Montes''.

E, imaginando o meu avô que, em tardes assim adorava ficar debaixo de uma árvore frondosa, a beira de um regato, a ler e compor belos sonetos de amor e de saudade; rumei de volta ao trabalho quando, ao passar pelas Palmeiras, não consegui disfarçar um olhar rancoroso, desdenhoso...

– Custava farfalharem só um pouquinho?

**********

Praia de Candeias-PE
17.10.2017
Apenas Ysolda 

Código do texto: T6145385 
Classificação de conteúdo: seguro

sábado, 14 de outubro de 2017

ANÚNCIOS DE SERESTEIRO




Imagem Google



ANÚNCIOS DE SERESTEIRO
Ysolda Cabral 



Ao som das Ondas do Mar, 
a Brisa, mãe do Vento,
suavemente embalou o Dia
que hoje quis dormir mais cedo. 


Ao som dos passarinhos,
o Sol se recolheu de mansinho,
e a noite chegou trazendo a Lua cheia.
Anunciou o galante Seresteiro!


E ele começou a cantar uma linda canção,
que dizia assim: " É tão calma a noite,
a noite é de nós dois"...


Deixei para dormir muito depois!


**********

Praia de Candeias-PE
14.10.2017
Apenas Ysolda 
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor.

Para escutar a canção de fundo, acesse:


Código do texto: T6142616 
Classificação de conteúdo: seguro

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

PÁSSARO NÃO IDENTIFICADO





PÁSSARO NÃO IDENTIFICADO
Ysolda Cabral


Na minha janela o Céu e o Mar
de um azul límpido e plácido.

De repente, bem na hora do clique;
Um pássaro!...
Um pássaro não identificado.

Seria um pombo-correio?
Que notícias me traria?...
Em sorrisos e saudades, falaria?

Ou, uma oportunista e velha gaivota,
a espreita para depois contar lorotas?
Sorri agradecida pela foto.

**********

Praia de Candeias-PE
13. 10.2017 (sexta-feira treze)
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor. 

Para escutar a canção de fundo, acesse: 


* Jamais pensei que ao chegar na janela para fotografar o dia, que está lindo por demais, fosse conseguir uma foto assim. Adorei! 


Código do texto: T6141310 
Classificação de conteúdo: seguro