sábado, 21 de outubro de 2017

NUMA AURORA BOREAL



Imagem Google 


NUMA AURORA BOREAL
Ysolda Cabral



Preciso me desligar do mundo real.
Será por pouco tempo. Eu prometo!
Não! Não estarei no mundo virtual.
Esse mundo começa a me dar medo.

Preciso de numa aurora boreal,
ser levada ao mundo do soneto.
Que nele não haja nada surreal,
mesmo sendo visitado tão cedo.

Cedo até para todos os pássaros,
que pernoitam nas redondezas,
indo embora antes do dia claro.

Quando voltar, volto com a certeza
de ter composto, num mundo raro,
versos puros de amor e de beleza.

**********

Praia de Candeias-PE
21.10.2017
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor. 

Para escutar a canção de fundo, acesse:


Código do texto: T6149266 
Classificação de conteúdo: seguro

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

O INSONDÁVEL - PELO DIA DO POETA




Imagem Google


Arremedo de poesia em reverência ao '' DIA DO POETA'' 

Aproveito para parabenizar Poetisas e Poetas aqui presentes com suas belíssimas obras.

__________________________________


O INSONDÁVEL
Ysolda Cabral


Por trás da fealdade,
está a beleza...

Por trás da fragilidade,
está a fortaleza...

Por trás do medo,
está a coragem...

Por trás da lágrima,
está o sorriso...

Por trás da mentira,
está a verdade...

Por trás da verdade,
está a vontade...

Por trás da vontade,
está a impossibilidade...

Por trás da bondade,
está a maldade...

Por trás da maldade,
está o arrependimento...

Por trás do arrependimento,
está o perdão...

Por trás do perdão,
estão o conforto, o confronto...

Por trás da palavra,
está o pensamento...

Por trás do pensamento,
está o sentimento...

Por trás do sentimento;
eu e você.

Por trás de nós dois,
está a Poesia...

Por trás da Poesia,
está a realidade ilusória...

Por trás da realidade ilusória,
está a Vida...

Por trás da Vida,
está a morte...

Por trás da morte;
o desconhecido insondável.


**********

Praia de Candeias-PE
Em reverência ao "Dia do Poeta" 
Apenas Ysolda

Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade sem pudor. 
20.10.2017

Para escutar a canção de fundo, acesse:

Código do texto: T6148225 
Classificação de conteúdo: seguro

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

PEDRA DA INCERTEZA ( CRÔNICA)



Imagem Google
__________________________


PEDRA DA INCERTEZA
Ysolda Cabral 


Sempre confiei em minha cabeça mais que em qualquer outra. Não sei se por ter uma cabeça boa mesmo, ou se por força da minha profissão. O fato é que nunca precisei muito recorrer à agenda para lembrar os compromissos diários. Claro que consultava! Contudo, se não a tivesse por perto, não me atrapalharia de jeito algum. Além de uma cabeça boa, o senso de responsabilidade, extremamente apurado, não me deixaria esquecer absolutamente nada.

O Tempo passa e vai levando uma porção de coisas da gente. E, mesmo que ainda não tenha levado muito de mim, começo a desconfiar da minha cabeça e isso tem me deixado acabrunhada. - Se não o tempo, o fato...

E o fato é que hoje, bem no meio do caminho, surgiu uma pedra: a pedra da incerteza. - Teria eu desligado o ferro, após passar a blusa que vestia? - A única alternativa era voltar para casa e verificar, mesmo isso significando um transtorno enorme no meu dia mal começado.

Bom, ao chegar atrasada no trabalho, depois de contar o sucedido aos colegas, todo mundo queria saber somente uma coisa: o ferro estava ligado ou desligado?

Foi quando comecei a refletir que, independente de como ele estivesse, minha cabeça já não estava tão boa! Concluí. Pois, se, apenas se, o ferro estivesse ligado; eu havia esquecido de desligar. E, se tivesse desligado, eu havia esquecido que fiz isso. Em ambos os casos eu tinha motivo para me preocupar, apesar de ter lembrado de usar o ferro, e de lembrar que não lembrava de tê-lo deixado ligado, ou desligado. Isso significava que, pelo menos, o senso de responsabilidade ainda estava intacto. Senti certo alento, mas não me livrei da preocupação...

Eis mais um aspecto da chegada da ''boa idade''! Se não fosse por ela, um acontecimento desses seria perfeitamente normal, principalmente nos dias de hoje que os jovens esquecem até deles mesmos.

- Melhor marcar logo uma consulta com um especialista, antes que eu termine como a mãe da Danny, minha colega de trabalho, que, ontem mesmo, interrompeu uma reunião de diretoria, dizendo ser assunto de máxima urgência e importância, para saber da filha se no capítulo da novela ''A Força do Querer'' a psicopata Irene, personagem da Débora Falabella, havia mesmo morrido.

- Eu posso com uma coisa dessas? 

Vou correr para o médico.

**********

Praia de Candeias-PE
19.10.2017
Apenas Ysolda

Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor.


Código do texto: T6147323 
Classificação de conteúdo: seguro

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

PELO DIA DO MÉDICO...


Imagem Google


PELO DIA DO MÉDICO...


Abençoado é o médico
que tem Deus no coração,
pois não existe remédio,
que cure sem oração.

*****

Ao médico amigo,
que cuida de mim,
falando paciente comigo,
quando estou assim,assim.

**********

Praia de Candeias-PE
18.10.2017
Apenas Ysolda 

Código do texto: T6146285 
Classificação de conteúdo: seguro

PLANOS DE VIAGEM ( CRÔNICA)



Imagem Google 


PLANOS DE VIAGEM 
Ysolda Cabral 



O Sol estava tão quente que chegava a tirar a beleza do dia e da gente. A sensação era desconfortante que até perdíamos a vontade de comer. Contudo, ''como saco vazio não se põe em pé'', lá fui eu avenida afora até o restaurante fazer um pequeno almoço. Aqui e acolá parava um pouco sob as Palmeiras que vi crescer, reclamando das sombras quentes que proporcionavam enquanto o semáforo não abria. - Não há nenhum pé de Vento. Elas me diziam no silêncio do seu farfalhar.

Estava suada, irritada, cansada, descomposta... - Quem gosta?! Comer assim é até pecado ou castigo, pelo qual não agradeço.

Quero ir para casa! Pensava, pensando estar gritando. No entanto, não estava e nem podia ir para casa naquele instante. Ainda tinha três horas de trabalho pela frente.

Cheguei ao restaurante e me sentei para almoçar. A comida desceu quente, amarga, apesar da consciência que estava gostosa como sempre. O líquido gelado do suco de graviola me deu certo alento. Parei de comer e me limitei a ele, o saboreando devagar, quando escutei a seguinte conversa: 

- ''Como o Recife está quente! Acho que vou viajar para o Chile.” E continuou...
- ”Na verdade, não queria viajar agora, pois acabei de chegar da Espanha. Mas, não dá para ficar aqui muito tempo não! Quente demais, barulho demais, gente demais”...

Deixei pra lá o suco, pedi a conta, peguei a bolsa, e, ao me levantar para ir embora, fui até a mesa onde as moças conversavam e falei:

- Que idéia ótima vocês me deram! Viajar para fugir desse calor infernal é a solução para não morrermos torrados. Viajarei no próximo final de semana. Falei alegre e decidida. 

Foi então que uma delas me perguntou: - “Vai para o Chile também?” E eu respondi: Não, não! Vou para ''São Quincas de Los Montes”. ( Era assim que meu avô, Firmino Filho, chamava São Joaquim do Monte, a cidade que escolheu para viver até o último dia de sua vida).

Acenando para elas, fui embora desejando sentir logo a Brisa daquela bela cidade envolver o meu corpo suado, deixando as moças matutando de que país seria ''São Quincas de Los Montes''.

E, imaginando o meu avô que, em tardes assim adorava ficar debaixo de uma árvore frondosa, a beira de um regato, a ler e compor belos sonetos de amor e de saudade; rumei de volta ao trabalho quando, ao passar pelas Palmeiras, não consegui disfarçar um olhar rancoroso, desdenhoso...

– Custava farfalharem só um pouquinho?

**********

Praia de Candeias-PE
17.10.2017
Apenas Ysolda 

Código do texto: T6145385 
Classificação de conteúdo: seguro

sábado, 14 de outubro de 2017

ANÚNCIOS DE SERESTEIRO




Imagem Google



ANÚNCIOS DE SERESTEIRO
Ysolda Cabral 



Ao som das Ondas do Mar, 
a Brisa, mãe do Vento,
suavemente embalou o Dia
que hoje quis dormir mais cedo. 


Ao som dos passarinhos,
o Sol se recolheu de mansinho,
e a noite chegou trazendo a Lua cheia.
Anunciou o galante Seresteiro!


E ele começou a cantar uma linda canção,
que dizia assim: " É tão calma a noite,
a noite é de nós dois"...


Deixei para dormir muito depois!


**********

Praia de Candeias-PE
14.10.2017
Apenas Ysolda 
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor.

Para escutar a canção de fundo, acesse:


Código do texto: T6142616 
Classificação de conteúdo: seguro

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

PÁSSARO NÃO IDENTIFICADO





PÁSSARO NÃO IDENTIFICADO
Ysolda Cabral


Na minha janela o Céu e o Mar
de um azul límpido e plácido.

De repente, bem na hora do clique;
Um pássaro!...
Um pássaro não identificado.

Seria um pombo-correio?
Que notícias me traria?...
Em sorrisos e saudades, falaria?

Ou, uma oportunista e velha gaivota,
a espreita para depois contar lorotas?
Sorri agradecida pela foto.

**********

Praia de Candeias-PE
13. 10.2017 (sexta-feira treze)
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor. 

Para escutar a canção de fundo, acesse: 


* Jamais pensei que ao chegar na janela para fotografar o dia, que está lindo por demais, fosse conseguir uma foto assim. Adorei! 


Código do texto: T6141310 
Classificação de conteúdo: seguro

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

MAX NUM MOMENTO DE LUZ




Cadeirante fotografado por Maxwell 

_________________________


MAX NUM MOMENTO DE LUZ
Ysolda Cabral




Na Fiscalização Integrada – FPI, (Crea-PE Corpo de Bombeiros e Vigilância Sanitária), realizada hoje num hotel cinco estrelas famoso, da região metropolitana do Recife, cuja direção pretende fazer uma grande reforma em futuro próximo; o fiscal Maxwell ficou fascinado e encantado com as instalações da cozinha do referido estabelecimento comercial. Sua fascinação foi tanta que quase perdia o foco, o objetivo da fiscalização.

E, a imaginar o que seria cozinhar naquele espaço tão bem equipado, arejado, bonito e com vista para o Mar, ao invés de andar de carro, num calor de mais de 30 graus, diariamente, em fiscalizações que, por mais eficientes e orientadoras, o resultado quase sempre deixa a desejar.

O seu deslumbramento foi tão visível, - eu acho -, que o cozinheiro chefe lhe presenteou com uma touca de ajudante de cozinha.

Fiscalização concluída, lá vinha o nosso bom e sonhador fiscal, de volta ao Crea, e, ao cruzar a Avenida Agamenon Magalhães, com a Conde da Boa Vista, ficou indignado, revoltado ao ver um cadeirante que aguardava o ônibus, em plena avenida, arriscando a sua vida por conta da falta de acessibilidade na respectiva parada. Sem pensar duas vezes, ou por força do hábito, fotografou àquilo que se poderia chamar de ''morte anunciada''.

Quando chegou ao Crea pensando se não valeria à pena mudar de profissão, colocou a touca e começou a pesquisar na Internet a culinária francesa.

Aproximei-me dele e perguntei:

- Max, você sabe cozinhar? E, ele respondeu; “sei fazer ovo frito e assar queijo. Contudo, estou disposto a aprender, assim terei uma profissão, caso eu não suporte mais ver as ''mortes anunciadas,'' que vejo todo santo dia e nenhuma providência é tomada.’’

Como contra fatos não há argumento, o fotografei no seu momento de luz.


Maxwell fotografado por mim

**********

Praia de Candeias-PE
Em pró da acessibilidade
11.10.2017
Apenas Ysolda 
Uma pessoa que chora e ri alegria,
tristeza,ou saudade sem pudor. 

Código do texto: T6139704 
Classificação de conteúdo: seguro

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

SE TOQUE



Imagem Google 


SE TOQUE
Ysolda Cabral

O corpo é todo seu...
Ele guarda a sua alma,
até quando Deus quiser.

Cuide dele com calma,
e com atenção se toque,
para não antecipar a sua morte.

Afinal, a mais bela e perfeita 
criação de Deus é a mulher.
Portanto, não abuse da sorte! 

**********

Praia de Candeias -PE
Lembrando você da importância da 
prevenção contra o câncer de mama.
Outubro Rosa
05.10.2017
Apenas Ysolda

Código do texto: T6133943 
Classificação de conteúdo: seguro

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

UM POUCO MAIS DE MIM



Eu, pelas lentes de minha filha Yauanna



UM POUCO MAIS DE MIM 
Ysolda Cabral



Sempre fui uma pessoa pouco observadora, muito na minha, franca, correta, com senso de justiça aprimorado, destemida, alegre e muito bem-humorada. Resumindo; uma pessoa com poucas “encucações”. 

Nunca gostei de sair para festas, visitar alguém, e/ou sair para ''shoppingcentear''. Gostava muito de viajar e viajei um bocado. Conheci todas as principais capitais brasileiras, e certa ocasião até cheguei a prolongar uma viagem de férias do trabalho para conhecer o Uruguai, Paraguai e a Argentina, porém parei por aí.

A bem da verdade é que sempre gostei de estar em minha casa, não sei se porque comecei a trabalhar muito cedo... O fato é que o ponto alto do meu dia, até a data de hoje, é chegar em casa. - Nossa, que coisa boa é estar em casa! E, falo nos dois sentidos – a casa simples de alvenaria, e a ''casa'' sem vaidade, onde mora a minha alma de aura clara e sem maldade.

Casei, tive uma filha – meu presente de Deus - e depois de 24 anos de casamento me divorciei sem complicações, brigas e sem duvidar da minha decisão. - Claro que me casei para ficar casada ''até que a morte nos separasse'', mas a Vida nos reserva surpresas e ensinamentos importantes para que nunca a gente pense que pode fazer dela o que entender de fazer. A Vida é como ela é, e não adianta querer mudar o rumo da prosa. Planejar até que a gente planeja, sonha, luta e, de repente, nota que pouco ou quase nada adiantou. 

De qualquer forma o importante é ter coragem de olhar para dentro de nós mesmos e ver, com clareza e honestidade, o que de fato temos para oferecer de bom – como educação, conhecimento, disposição para o trabalho, generosidade, humildade, respeito, compreensão, bom humor, amor ao próximo e fé... Se faltar algum desses itens convém, pelo menos, tentar adquirir enquanto ser vivente neste mundo de meu Deus.

Posso não ter aprendido muita coisa para melhorar, crescer como pessoa, como ser humano, contudo não piorei com o passar do Tempo.

Gosto de mim exatamente do jeito que sou e, com certeza, sou minha maior fã. 

**********

Praia de Candeias-PE
Em divagações aleatórias
02.10.2017
Apenas Ysolda 

Coloquei até fundo musical!
Para escutar, acesse:
http://www.ysoldacabral.prosaeverso.net/visualizar.php?idt=6131311

Código do texto: T6131311 
Classificação de conteúdo: seguro

domingo, 1 de outubro de 2017

A FLOR DE CLIPS






A FLOR DE CLIPS
Ysolda Cabral 



Ela é rosa, contornada de preto.
Nem o seu caule é verde!
Não tem folhas,
mas, foi projetada para elas;
as folhas de papel...
- Ah, esquisita flor de clips!
Que fazes aqui?

Com a aparência de uma margarida,
agradece por não ser, - eu acho!
Se fosse, suas pétalas não durariam.
Muita gente iria querer dela extrair 
o bem-me-quer e banir o mal-me-quer.
Depois ficar a lhe sorrir...

A flor de clips fica em minha mesa,
como se mesa de trabalho fosse jardim.
Há anos e anos está comigo,
sem serventia alguma,
Tenho que admitir!...

Mas, bem que poderia ter!
Quem sabe seguir numa carta,
com destino ignorado,
conteúdo inusitado e desconhecido?
Estaria indo para longe de mim!

Com delicadeza a seguro em minha mão,
fico pensando que destino terá,
quando eu não estiver mais aqui..
Lhe fotografo com certo carinho,
agradeço a sua companhia,
sem nada ter a proferir,
e a devolvo para o lugar onde estava, 
mas, sei que lhe darei um fim.

**********

Praia de Candeias-PE
Apenas Ysolda 

Para escutar o fundo musical, acesse: 

Código do texto: T6129981 
Classificação de conteúdo: seguro

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

ELA NÃO GOSTA DE FESTA


Chris, fotografada por mim enquanto
almoçavámos hoje no Tachos e Panelas.


ELA NÃO GOSTA DE FESTA
Ysolda Cabral



Sexta-feira com tempo firme no Recife, e muita vontade de aproveitar o final de semana, fez a Chris confirmar sua presença na festa de aniversário de três anos do filho do Diogo, o Lukinha, que na realidade já fez aniversário no último dia 21. - Até já ganhou o nosso presente!

Mas, enfim, a nossa colega quer porque quer ir a uma festa neste final de semana...

- “Onde vai ser a festa, Diogo?”
- “Lá em casa mesmo,Chris!” Respondeu Diogo, com toda a tranquilidade que lhe é peculiar, porém acrescentando que não seria exatamente uma festa, apenas um bolinho para cantar os parabéns.

- “Eu vou, mesmo que não tenha bolo algum!” Assegurou nossa querida colega que anda sorrindo a toa, depois que fez um clareamento com a maravilhosa Dra. Ana Maria Lima.

Anotou cuidadosamente o endereço e foi conferir a melhor maneira de chegar à festa posto que, desde que decidiu vender o carro, devido ao medo que sente de dirigir no trânsito maluco do Recife, anda as voltas com táxi, Uber, ônibus, metrô, carona… Como a última opção não seria viável, - ninguém mais havia confirmado presença no aniversário -, resolveu fazer uma estimativa de quanto ficaria para ir de Uber. - Fora de cogitação, pois mesmo usando essa opção de transporte, sua ida até a casa do aniversariante sairia cara demais, isto sem considerar a volta. 

- “Diogo, que ônibus eu pego para ir até a sua casa amanhã?”...

E foi então que a ficha caiu e caiu para todos nós: o nosso coleguinha foi morar longe demais.- Que coisa! Precisava ir morar tão distante?!

Para chegar a sua casa, Chris teria que pegar uns três ônibus, no mínimo, e se saísse de casa umas duas horas antes, caso contrário chegaria muito depois dos parabéns e, com certeza, nenhum pedacinho de bolo teria para ela.

Já sentíamos dó da colega de trabalho, e raiva do colega por ter ido morar tão longe; quando ela nos surpreendeu com a seguinte declaração:

- “Diogo, avise a sua esposa que vou com você hoje! Durmo na sua casa, e assim não perco a festa de aniversário do seu filho.”

- É mole? Não convido nunquinha a Chris para uma festa em minha casa.

- Moro mais longe que Diogo!

**********

Recife-PE
em 29.09.2017
Apenas Ysolda 


Código do texto: T6128420 
Classificação de conteúdo: seguro

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

APENAS UMA PONTE



Imagem Google 



APENAS UMA PONTE
Ysolda Cabral


Num Ponto daquela Ponte;
há tanto de mim!...

De nós dois, talvez...
Do primeiro encontro,
do primeiro beijo...
Do primeiro verso apaixonado,
no instante em que o amor se fez perfeito.

Há um Ponto naquela Ponte,
da passagem do Destino,
em barco do Mar viajante,
ou nas asas de uma Garça,
imaculadamente branca,
apesar do lixo e do Mangue.

Há um Ponto naquela Ponte,
de partida e de chegada;
onde está grafado os nossos nomes,
como se Ponte fosse Árvore.

**********

Praia de Candeias-PE
27.09.2017
Apenas Ysolda 

Para escutar a canção de fundo, acesse:


Código do texto: T6126558 
Classificação de conteúdo: seguro

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

PRENÚNCIO DE PRIMAVERA



Imagem Google


PRENÚNCIO DE PRIMAVERA
Ysolda Cabral


Hoje, os passarinhos se recolheram mais cedo, e, por incrível que possa parecer, o silêncio pairou no Entardecer, tal qual o Beija -Flor paira sobre o dulcíssimo néctar da Flor. - Exultei!

Diante de tanta beleza, de tanto amor pela Vida, justo no primeiro dia que a Primavera se anuncia, a Brisa, mãe do Vento, acha de me trazer o cheiro do Mar, com esmerada suavidade, para não tirar o perfume das tantas rosas que me destes, em forma de prosas, versos e cantigas que cantastes, bem junto ao meu ouvido, em todos os arrebóis do nosso “Mundo Poesia”.

Ah, senti minha alma flutuar! E flutuou até a tua e ali permaneceu longo tempo a folhear o “nosso livro”, como tu dissestes ontem mesmo para mim; somente para lembrar que nos fizemos eternos.

- Que venha mais uma Primavera!

**********
Praia de Candeias-PE
21.09.2017
Apenas Ysolda
Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor.

Para escutar a música de fundo acesse:

Código do texto: T6121076
Classificação de conteúdo: seguro

RETRATANDO O MOMENTO




RETRATANDO O MOMENTO
Ysolda Cabral 



Fico impressionada como o sono adora atrapalhar minhas sessões de cinema... Ora, saio do trabalho sonhando em chegar em casa para depois de um bom banho, um lanchinho caprichado, me jogar no meu velho e fofo sofá, munida de dois controles remotos, disposta a assistir tantos filmes o sono deixe, e ele nunca deixa. - Que coisa! Fica querendo me levar para cama a todo custo! E, finalmente, quando consegue, vai embora me deixando a noite toda a sua espera. - Como entender uma coisa dessas?!

Ontem não foi diferente. Contudo, não liguei e aproveitei a sua ausência para me deixar levar pelos pensamentos…

- Ah, como é bom no silêncio da noite você seguir para um novo amanhecer, com a consciência de ter caminhado até aquele momento em linha reta, apesar de todas as dificuldades e dos altos e baixos que a vida lhe impõe! Saber que o novo dia pode mudar tudo e que notícias boas ainda são possíveis; é ter amor pela Vida e nela acreditar.

Como é bom saber que, apesar dos terremotos, dos furacões, de um coreano louco testar mísseis pondo em risco a vida de todo o planeta; apesar de tanta violência, de tanta desonestidade e falta de caráter, principalmente dos nossos políticos; e, ainda; apesar de tanta modernidade, - que não alcanço, compreendo -, apesar de tudo isso; ainda nos resta a esperança…

- Ah, esperança! Essa que nunca morre, só nasce! E, desta feita nasceu, em 18.09.2017, às 06h26m, advinda do amigo e colega de trabalho, Carlos Artur Vital, que ao se casar ainda adolescente, com a sua Rosângela, pensava logo em ter um filho e fazer dele um ser humano inteiro, verdadeiro, de valores íntegros, sem crises de identidade ou gênero…

Entretanto, se passaram muitos anos e o filho tão sonhado só chegou agora. Chegou forte, com muita saúde, distribuindo alegria, amor e esperança de um mundo melhor, mais justo, mais equilibrado e de muita paz e harmonia entre todos nós.

- Artur Gabriel, com as bênçãos e a proteção de Deus, seja muito bem-vindo!

**********

Praia de Candeias-PE
20.09.2017
Apenas Ysolda


Código do texto: T6119850 
Classificação de conteúdo: seguro

domingo, 17 de setembro de 2017

ALMA BEIJA-FLOR




ALMA BEIJA-FLOR
Ysolda Cabral 



Repleta de amor,
minha alma paira no ar
tal qual beija-flor.

Um beija-flor bonito,
das cores do arco-íris,
de aguçados sentidos.

Sem medo do Vento,
sem medo do Tempo...
Ela é do jeito que invento.

Mas é tão só!

**********

Apenas Ysolda 

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

ODALISCA


Imagem Google


ODALISCA 
Ysolda Cabral


Na última semana de inverno,
entre sol forte e muita chuva,
nem tão fresca, tanta rusga;
a paisagem é do quero-quero.

Do harém, atrevida odalisca,
se oferece para versos iscas.
E, ao ficar exposta na calçada,
tenta passar por rosa casta.

Ah, triste e equivocada esquina!
Encruzilhada de meninos e meninas...
Inválida, mas propícia à fantasia;
lá está ela a espera de inspirar poesia.

Da última desastrosa paixão,
que se apresentou tipo carente,
de solidão dividida e reticente;
nem percebeu a cruel enganação.

Somente por caridade,
dela eu tenho compaixão! 

**********

Praia de Candeias-PE
14.09.2017
Apenas Ysolda 

Para escutar a canção de fundo acesse:

Código do texto: T6114177 
Classificação de conteúdo: seguro

domingo, 10 de setembro de 2017

O MEU DIA FOI ASSIM


Imagem Google


O MEU DIA FOI ASSIM 
Ysolda Cabral



Pela manhã, depois de dois dias de descanso, me sentindo enternecida por um Tempo indeciso que me obrigou a ficar em casa, resolvi compor poesia. - Não no celular! A poesia composta no celular me parece sem alma, descomposta... Sei lá! 

Gosto de escrever no papel e sentir a suavidade e delicadeza com que recebe os versos capengas que vou lhe confiando. Contudo, no computador, acho melhor. - É que adoro imprimir o meu pensamento em seu teclado, vê-lo concretizado na tela, de onde o envio para o mundo. Fazendo tudo isso em companhia de minhas canções prediletas. 

Mas, enfim, com o Tempo indeciso, me sentindo inspirada, descansada, desliguei o celular, para não perturbar, e ao visualizar o cursor na tela, a pulsar no mesmo compasso do meu coração, fiquei tão feliz! - Entretanto, logo fiquei triste: o PC havia voltado da autorizada sem som. 

– Como escrever, compor, fazer alguma coisa, sem música?

Liguei para o técnico e ele me mandou baixar um programa para que o PC "voasse", pelo espaço virtual, até o dele, e assim, ser consertado de lá mesmo.

Enquanto o PC "voava" silenciosamente, fui até a geladeira pegar um copo d’agua, e ao voltar para onde eu estava, quem bebeu água foi o teclado, e justo na hora que o PC pousava ruidosamente de volta para mim. - A essas alturas quem voou foi a minha inspiração.

O dia passou, a noite chegou, a poesia não aconteceu... O Silêncio que paira no ar suplica orações por nossos irmãos que estão sob ameaça dos furacões Irma, Kátia e José. 

O dia não rendeu poesia, nem poderia, mas rende agora muita oração. 

********** 

Praia de Candeias-PE
 09.09.2017 
Apenas Ysolda 
 Código do texto: T6109411
 Classificação de conteúdo: seguro

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

MAR DE RECORDAÇÃO




A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, sapatos e atividades ao ar livre


Imagem Google  

MAR DE RECORDAÇÃO
Ysolda Cabral


No turvo mar de recordação,
vou e volto ao meu passado. 
Sinto saudade! Sou emoção,
nas escolhas que faço!...

Sorrio com a minha solidão.
Ela não me é nenhum fardo!
E em perfeita comunhão,
seguimos passo a passo.

Entre o passo certo e o errado,
há um desassossego velado...
Como é fácil perder o equilíbrio!

Contudo, caminhando com cuidado,
é sempre possível fugir do sombrio,
tendo fé e fazendo jus ao aprendizado.

**********
Praia de Candeias-PE
Reflexões de fim de tarde
08.09.2017
Apenas Ysolda 

Uma pessoa que chora e ri de alegria,
tristeza, ou saudade, sem pudor.
www.ysoldacabral.prosaeverso.net


SAUDADE - YSOLDA CABRAL E ODIR MILANEZ

A imagem pode conter: texto e água




A saudade é companhia 
que traz junto a tristeza
que adora tirar nossa alegria
e da nossa vida a beleza 

( Ysolda Cabral ) 

A saudade é metade
do que fomos nalgum dia
quando, ao invés de saudade,
rimos da vida a alegria! 

( Odir Milanez )


'' Mundo Poesia de Ysolda Cabral " 
 Facebook -  07.09.2017

AMOR MAIS QUE BONITO





A imagem pode conter: pássaro

Imagem Google 

AMOR MAIS QUE BONITO
Ysolda Cabral



Um dia, bem de mansinho,
tal qual canto de passarinho,
um amor mais que bonito me chegou.
Juro que não me assustou!

Nem quando me disseram baixinho,
- acho que foi um canarinho -, 
" Esqueça tudo o que passou!"
E, logo o amor em mim se instalou.

Se instalou de forma definitiva!
Fiquei feliz e contente da vida,
decidida a ser apenas alegria.

E, mesmo sabendo que um dia,
a maldita desventura chegaria;
fui feliz como nunca imaginei que seria.

**********

Praia de Candeias-PE
Em devaneios poéticos
06.09.2017
Apenas Ysolda

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

GOSTO DE GENTE

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up


Hoje amanheci lembrando da minha amiga querida, de toda a vida que me lembro ter vivido, Cristina Biondi, também comadre, e resolvi aqui publicar, mais uma vez, um poeminha que compus para ela um tempo atrás.


GOSTO DE GENTE
Ysolda Cabral


Gosto de gente...!
Que se doa sem saber por quê,...
Que sente mais do que vê,
Que passa pra gente só coisas boas,
E puras... Pra valer!!!

Gosto de gente...!
Que é dada a pequenos gestos
E com eles,
Tece lições fortes de ternura
Com a maior delicadeza,

... Que tem os pés no chão
O coração na natureza
E a cabeça na imensidão do universo
Quando azul ou não

Gosto de gente assim que nem você!


**********

Praia de Candeias-PE
Em maré de recordação
e de saudade
30.08.2017
Apenas Ysolda

EUFRÁSIO OU AFRÂNIO?


Imagem Google 


EUFRÁSIO OU AFRÂNIO?
Ysolda Cabral



Sentindo-me cansada, desanimada, atrapalhada, preocupada com tudo que anda acontecendo no mundo que nos afeta de todas as maneiras; obriguei-me parar um pouco com as atividades intelectuais e profissionais, e tirei férias para ficar em casa sem fazer nada. - Como eu precisava de dias assim!

Entretanto, logo me senti cansada de não fazer nada e mais que depressa voltei às atividades profissionais me sentindo ótima. Quanto às intelectuais tiveram que ser adiadas posto que, meu computador, novinho em folha, deu um “piti " fenomenal. Resolvida a não me aborrecer, o levei para a loja especializada e o deixei lá com o competente técnico, Eufrásio, para que ele resolvesse o problema.

Hoje, Afrânio, digo Eufrásio, me mandou uma mensagem dizendo que o computador estava pronto e à minha disposição. Disse, também, que não estaria na loja, mas que a esposa, Joselma, estaria.

Quando cheguei a porta estava aberta, porém não havia ninguém na recepção. Tentei lembrar o nome da “recepcionista esposa” e não consegui! Então chamei: ESPOSA DE AFRÂNIIIIIO...! E, lá de dentro ele respondeu: “Ela não está! Quem está sou eu mesmo o EUFRÁSIO!”

Atrapalhada e envergonhada, me desculpei com um sorriso meio amarelo, me prometendo não mais chamá-lo de Eufrásio, ou seria Afrânio? – Ah, mais que nome causador de confusão!

Após efetuar o pagamento, pegar o bendito PC e agradecer pelo serviço; com receio de, novamente, chamar o Afrânio de Eufrásio, ou chamar o Eufrásio de Afrânio, falei: Até logo, esposo de, de, de... 

E, ele completou Joselma, ou foi Joelma?!

- Ah, meu Deus! Preciso voltar às férias! 

*********

Praia de Candeias-PE
Em 30.08.2017
Apenas Ysolda 
Uma pessoa que chora e ri 
de alegria, tristeza, ou saudade sem pudor.


Código do texto: T6099709 
Classificação de conteúdo: seguro